Google
 

sexta-feira, 8 de junho de 2007

III SESOL - Terceiro dia


Olá, colegas! Voltando com a cobertura do SESOL, venho relatar as palestras que aconteceram neste terceiro dia.

VCL: Para tudo e para todos


Como é de se esperar, cheguei atrasado (sabe como é, morar na Messejana para chegar no PICI é osso). Mas hoje cheguei muito atrasado. A palestra que eu mais queria assistir era a Videoconferência em Software Livre: para tudo e para todos, de Mário Evangelista. A palestra estava marcada para começar às 10h30min, mas eu só cheguei às 11h15min. E ainda estava na palestra anterior: BrOffice.org Do básico ao avançado!! Que alívio!

Mário trabalha no SERPRO, eu o vejo todo dia, eu faço parte da equipe da VCL (VideoConferência Livre), eu sei de cor como funciona o sistema. Mas exatamente por fazer parte da equipe eu tinha que estar lá. No mínimo como testemunha na hora que ele falasse o quanto funciona e o quanto a qualidade é boa.

A palestra falou sobre como funcionam as videoconferências proprietárias, e como as empresas ficam presas a estas soluções, onde um parque montado com equipamentos de um fabricante não permite que equipamentos de outros fabricantes sejam adicionados por conta de incompatibilidades. Sem contar o preço cobrado por cada equipamento.

Depois o Mário mostrou os projetos em software livre desenvolvidos para videoconferência, como o OPENH323, MBONE e OPENMASH. Mostrou também alguns conceitos de multicast e porque ele é melhor que o unicast para transferência de vídeo e voz entre vários pontos. Em seguida foi apresentada a infraestrutura necessária para o funcionamento da solução de Videoconferência em Software Livre:

Hardware
PCs comuns, com alguns opcionais como placas de captura de vídeo, projetor multimídia, teclado e mouse sem fio.

Software
Sistemas operacionais comuns com os softwares dos projetos citados.

Rede
switches que operem nas segunda e terceira camadas do modelo OSI, com opções de domínio multicast ou que sejam dedicatos à rede da videoconferência.


No restante da apresentação foram apresentados vídeos onde eram mostrados o funcionamento da solução usada no SERPRO (nsdr + vic) cujas fotos podem ser vistas no meu álbum público do PicassaWeb.

Magic Mirror on the net, What's the fairest license yet?


Essa palestra é do Alexandre Oliva, co-fundador da FSF-LA, figura clássica do nerd bem-sucedido. O Stallman brasileiro, pelas idéias que prega. Ele falou sobre a GPLv3 e como ela fecha brechas que ainda existiam na segunda versão da principal licensa de software livre.

Toda a palestra é uma brincadeira com a história da Branca de Neve e os Sete Anões, inclusive o nome é referência à frase dita pela Bruxa, no original em inglês (que eu não sei exatamente qual é).

Ele reforçou que a GPLv3 não quebra o espírito que criou a primeira versão e se manteve na segunda, como alguns temeram no início. Esclareceu algumas coisas obscuras, como um comportamento "olho por olho" que não existe na licensa, onde se eu modifico um software livre eu teria obrigação de redistribuí-lo. Essa obrigação não existe, mas se eu desejar redistribuir o software modificado por mim, eu devo mantê-lo sob a GPL na mesma versão ou compatível.

Um dos pontos fortes da terceira versão da GPL é a internacionalização. Ela evita usar termos jurídicos definidos, para que a tradução dela para outras línguas não seja por termos jurídicos, mas pelo significado real da licensa. A palestra também falou sobre a chamada "cláusula anti-DRM" que alguns afirmaram haver na GPLv3. Não existe uma cláusula explicitamente proibindo que um código licenciado sob a GPLv3 contenha algum tipo de DRM. Apenas há um parágrafo que deixa claro que qualquer pessoa pode acessar o código e retirar o mecanismo de DRM sem que isso possa ser proibido de qualquer maneira.

Distribuição GNU/Linux: avaliando e escolhendo a melhor


Essa palestra foi ministrada por dois alunos da UFCG que fazem parte do Guardians, grupo que administra o Laboratório de Ciência da Computação da universidade.

Eles falaram sobre a metodologia usada para avaliar que distribuição Linux deveria ser adotada no Laboratório. Como cada aluno tem uma preferência em relação a uma ou outra distro, eles preferiram usar essa metodologia para formalizar a adoção de uma distribuição oficial.

A palestra seguiu os passos usados na metodologia, como ela foi escolhida e adaptada por eles, e como eles agiram até a escolha da lista de distribuições que seriam avaliadas. No momento em que um dos palestrantes começou a falar das avaliações, em si, ele dizia:

"Então, quando estava tudo pronto para o início da avaliação, faltou energia."

Bem, esse "faltou energia" foi de improviso, pois faltou energia mesmo na hora da apresentação. Claro que isso não foi motivo para o fim da palestra, que se tornou mais um bate-papo com a platéia sobre como o processo ocorreu e como ele pode ser adaptado para outras realidades, inclusive a situações de pessoas individuais. Até um software que teve início no FLISOL há alguns meses foi citado pelo pessoal da comunidade TUX-CE que seguiria os mesmos princípios e que foi prometido a estar pronto logo.

Bem, com o fim das palestras e da produção de camisas grafitadas com os mascotes e logomarcas relacionadas a software livre (para grafitar as camisas é necessário o compressor de ar), não me restou alternativa senão ir pra casa mais cedo. Mas amanhã tem mais, aguardem!

[P.S.]
Pessoal, obrigado pelo apoio e pelos comentários no post anterior, mas seria muito mais legal vocês também terem aparecido por lá. Vamos aproveitar o sábado, já que terá a olimpíada de robótica!

Olhem só: o Danilo que comentou no outro post é um colega novo, da primeira turma das Engenharias do CEFET, e que conheci na quinta-feira. Mais um visitante pro nosso blog, espero que volte sempre, Danilo! Precisando de uma prova antiga, há quem guarde ;P

2 comentários:

Agebson disse...

Opa povo... andei meio ausente por esses dias mas estamos aqui...

Sobre o SESOL, aquele povo é louco, hehehe, conseguiram mesmo fazer um evento desse porte e de extrema qualidade, na cara e na coragem!

Bem... só deixando aqui um parênteses, no primeiro dia da III SESOL minha pequena contribuição foi à Palestra "Linux cada vez mais acessível para os deficientes visuais", uma experiência bem legalz... =) ... Ahhh, embora o horário não tenha ajudado muito (12:00 as 13:00), o auditório não estava tão lotado, mas o povo que ficou gostou da discussão gerada ao final da palestra. Pena que não vi nenhum de vocÊs por lá!

Gostaria também era de ter feito a prova da LPI! ... Infelizmente não participei do restante do evento... Mas parabenizo a iniciativa do XiZ na cobertura do mesmo!

Bruno Garcia disse...

Mafiamento de provas, hein?

Talvez resulte em mais dinheiro do que os anuncios do blog. Mas vai que um professor visita o blog.

Valeu novamente pelos comentários Humberto.