Google
 

segunda-feira, 23 de abril de 2007

A Vez do Computador Popular

Caros Telemáticos,

Cresce no mercado a oferta de PCs com preços abaixo de R$ 1 mil, uma opção para o consumidor de baixa renda


Com os incentivos fiscais oferecidos pelo governo federal, que isenta computadores com preços até R$ 4 mil do pagamento de impostos PIS e Cofins, já é possível ao consumidor comprar um PC desktop (computador de mesa) pagando menos de R$ 1 mil. Aproveitando esse momento promissor — este ano espera-se que 8,5 milhões de PCs sejam comercializados no país —, a fabricante de peças para computadores FIC (First Internacional Computer), com matriz em Taiwan, concentra sua atenção no mercado brasileiro e lança agora mais uma opção de equipamento para o consumidor de baixa renda.

O PC popular da FIC, denominado Imagine PC, conta com um processador Intel Celeron D331 de 2,66 GHz, HD de 80 GB SATA 7200rpm, 256 MB de memória RAM DDR 400 e unidade de gravação de CD. Custa R$ 809. Com um monitor LG de 17 polegadas (do tipo convencional, CRT), a máquina sai por R$ 1.067. O produto está disponível no mercado a partir desta semana nas regiões Sul e Sudeste e a partir do próximo mês chega aqui ao Nordeste. Os planos da fabricante para este ano incluem produzir 40 mil computadores e faturar US$ 4,6 milhões por mês no segundo semestre.



Até chegar o PC popular da FIC, o consumidor de Fortaleza interessado em comprar um computador de baixo custo também já pode encontrar na cidade PCs com preços abaixo de R$ 1 mil. Basta dar uma olhada nos anúncios das lojas na seção de informática dos classificados dos jornais da cidade para ver que já são muitas as ofertas de PCs abaixo desse patamar de preço.

Na loja Fico Informática, um PC com configuração semelhante à do equipamento da FIC (processador Celeron de 2.66GHz, HD de 80GB, 256MB de RAM e gravador de CD) sai por R$ 999,50. O diferencial é que este valor já inclui um monitor de 17 polegadas da Philips. ‘‘Computadores nessa faixa de preço estão vendendo demais’’, conta a gerente da loja, Íris Martins. ‘‘O computador passou a ser pessoal e as pessoas compram de acordo com suas necessidades, para uso residencial, estudo e acesso à internet. Por isso, essa é a configuração que mais se vende’’, afirma Íris.

Na loja Fortaleza Informática, o ‘‘PC Conectado’’ com processador Intel Celeron 2.53 GHz, HD de 80 GB, 256 MB de memória RAM, gravador de CD e monitor de 15 polegadas é anunciado por R$ 949. Pelo mesmo preço, também é possível adquirir na loja InterSystem um computador com processador Celeron de 2.26 GHz, 512 MB de RAM, HD de 40 GB, gravador de CD com leitor de DVD e monitor AOC de 15’’. Na loja iByte, um vendedor informou que os computadores anunciados nos jornais ao longo da semana custando R$ 999 já estavam fora de estoque na última sexta-feira. A máquina anunciada era composta por processador Intel Celeron D331 de 2,66 GHz, HD de 80 GB, memória de 256 MB e monitor de 15 polegadas.

Para o consultor de informática Nagibe Maia, esses computadores são uma boa opção para o consumidor assalariado, que não pode comprometer muito de sua renda para realizar a compra do seu primeiro PC. ‘‘A qualidade dos componentes, como a placa-mãe, não é top de linha, mas serve para aplicações cotidianas como o acesso à internet e a realização de trabalhos escolares, por exemplo’’, comenta. Usuários profissionais e avançados que desejam uma melhor performance devem ser mais criteriosos na escolha da configuração ideal, que certamente acabará custando mais que o dobro do preço dos PC mais populares.

Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=426641

4 comentários:

Bruno Garcia disse...

Computadores estão valendo cada vez menos e se desvalorizando cada vez mais rápido.

Por isso pensar bem antes de comprar um PC é necessário, porque saiu da loja, não está valendo nem a metade do que você pagou.

Reginaldo disse...

Isso mesmo, Garcia!
Porém, vejo isso com "bons olhos", afinal, é chegada a tão esperada e comentada "hora do barateamento da tecnologia", tornando-se, portanto, acessível a um número maior de usuários.
Após discussões políticas e "acertos" empresariais, a Lei da Informática surgiu como um limitador considerável de custos, principalmente de PCs, proporcionando, como a maioria sabe, reduções tributárias no setor.
Que sofram redução de custos os equipamentos de Informática então!

Xisberto disse...

Dormiu empolgado, Garcia!
Duas postagens gigantes quase à meia-noite!

Mas o grande problema com os computadores mais baratos é quando eles vêm com Linux.

Comprei um que veio com o Kurumin 7 beta!!! Tem condições um software beta?

Os fabricantes colocam Linux ainda somente pela diminuição do preço, sem se preocupar com a qualidade e já imaginando que ele será substituído por um Windows qualquer. Nem a garantia é perdida caso isso ocorra.

Bruno Garcia disse...

Só lembrando que as noticias foram copiadas do Diario do Nordeste.

Porque so tive tempo de ler o jornal a noite, ae vi essas materias no caderno de negocios. Fui no site, e dei o velho e bom ctrl+c ctrl+v.

Lembrando da boa pratica de sempre colocar, as fontes das noticias nas postagens.